Cuidado com excesso de telas

Visão embaçada, coceira, dores de cabeça, fadiga ocular e tontura. Esses sintomas vêm acompanhando as pessoas ao redor do mundo, desde o início da pandemia. A culpa pode ser das telas, a partir do home office – trabalho popularizado na pandemia de Covid-19 e amplamente utilizado nos dias atuais. Apesar dos benefícios dessa forma alternativa, a exposição às telas de computador e celular pode estar prejudicando a visão ocular de muita gente.

Segundo uma pesquisa da revista britânica Fight for Sight, 38% dos entrevistados – de diversas idades – afirmaram que sua visão piorou desde o início da pandemia. Outro estudo estima esse percentual em 22%. Essas pessoas têm os mesmos sintomas e faz acender uma luz de alerta para o quão prejudicial à luz de uma tela pode ser.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), também realizou um levantamento sobre o assunto. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Covid-19 (PNAD), que foi divulgada em 2020, mostrou que, no período pandêmico, o trabalho remoto passou de 3% para 12%, entre brasileiros com carteira assinada. Muitos aprovaram a nova modalidade, contudo, a falta de um horário fixo para iniciar e terminar o expediente está levando ao esgotamento crônico, como a a Síndrome de Burnout, que leva à fadiga visual e ao cansaço físico.

Reflexo também em crianças

E não para por aí: até mesmo as crianças foram afetadas, já que elas estão experimentando também os estudos on-line através das telas. Um estudo publicado na revista Nature revelou que o ensino em casa, durante a pandemia, aumentou a taxa de aumento da miopia – problema ocular em que os olhos não conseguem captar imagens e letras distantes – em comparação com os anos anteriores. A pesquisa avaliou 115 crianças e adolescentes de 8 a 17 anos. A explicação que se deu é que, com o aumento de atividades dentro de casa e o foco em computadores e celulares, houve uma redução de lazer ao ar livre. Segundo o artigo, passar duas horas por dia fora diminui a progressão da miopia.

Já uma pesquisa publicada no periódico científico Lancet, feita com a colaboração de oftalmologistas de países de todas as regiões da América do Sul, mostrou que, entre 2019 e 2020, a progressão de miopia cresceu 40% entre os jovens de 5 a 18 anos, também pelo aumento das ações online e restrições.

Impactos Negativos

As telas, a uma distância de cerca de 40 centímetros e por um tempo prolongado, em adultos e crianças, podem causar diversos impactos negativos, de curto e longo prazo. Entre o público infantil, o desenvolvimento cognitivo pode ser prejudicado, com atrasos no desenvolvimento da fala e de interação social. A visão também pode ser alterada, com aumento de chances de problemas oculares na vida adulta, como astigmatismo e miopia.

Já para os adultos, os problemas de longo prazo podem ser ainda maiores, com o aumento dos sintomas na visão ainda piores, como vista embaçada, olho seco e dores nos olhos, a chamada síndrome da visão do computador. Doenças oculares também têm a chance de aparecer, como a presbiopia – a vista cansada, que acomete a população dos 40 anos –, que tem como impacto a dificuldade de enxergar de perto, decorrente da perda de flexibilidade do cristalino para alternar a focalização de imagens próximas e distantes.

Cuidado e Prevenção

Diversas precauções podem e devem ser tomadas para amenizar o efeito das telas nos olhos. Uma técnica benéfica é desviar os olhos da tela a cada 10 minutos para um ponto distante – para descansar a vista, evitando que os músculos dos olhos trabalhem em excesso. Piscar voluntariamente a cada 20 minutos para outro local também é um mecanismo eficiente, porque aguça a visão e tira a secura. Em relação à tela, posicioná-la 20° abaixo da linha dos olhos, reduzir o brilho, aumentar o contraste e manter uma distância de 60 cm entre ela e os olhos ajudam a diminuir os efeitos negativos da exposição.

Ir ao ar livre, fazer coisas que não utilizem o esforço visual e descansar são atitudes de ouro para aliviar a pressão dos olhos e podem ajudar cada vez mais na prevenção de doenças oculares e, claro, é essencial não esquecer de consultar um médico oftalmologista, tanto para verificar a saúde dos olhos e prevenir doenças, como agir ao qualquer aparecimento de sintomas na região, para que o tratamento correto seja feito.

FITS - Faculdade Tiradentes de Jaboatão dos Guararapes
  • Tel: +55 (81) 3878-5701

Privacidade de Dados